top of page
parceiros-dermaconecta.png

Bicho de pé: O que é, sintomas, tratamento e prevenção

Atualizado: 27 de dez. de 2023

O que é bicho de pé?

O bicho de pé é o nome popular de uma doença causada pela pulga Tunga penetrans. Essa pulga tem em média 1 milímetro de comprimento e se alimenta do sangue de animais e humanos.


A pulga Tunga penetrans, conhecida como "pulga de areia", é considerada uma das pulgas mais pequenas, em comparação com outras espécies de pulgas de cães ou gatos.


Apesar de seu tamanho pequeno, essa pulga pode causar uma série de problemas de saúde em animais e humanos. Esse parasita vive em solos arenosos, quentes e secos e é adquirido quando os animais ou pessoas entram em contato com solo contaminado com ovos da pulga.


Nome técnico da doença: tungíase

bicho de pé em um cão

Tunga penetrans - Fonte: Revista Vet Dermatology


Qual a causa ?

O animal pode pegar "bicho de pé" quando entra em contato com solo contaminado com ovos da pulga Tunga penetrans. Quando a pulga adulta está pronta para depositar seus ovos, ela procura um ambiente adequado, geralmente solo úmido e sombreado, e os ovos são depositados no solo.


Quando o animal caminha ou se deita no solo contaminado, os ovos da pulga aderem à pele e pelos do animal. Então, os ovos penetram na pele do animal, e as larvas se desenvolvem, se alimentando do tecido do animal. A fêmea da pulga, após penetrar na pele dos hospedeiros para ovipor, ela aumenta consideravelmente de tamanho, o que gera incômodo e dor no animal


Localização geográfica

A doença ocorre principalmente na América Latina, Caribe e África subsaariana, incluindo Madagascar, com altas taxas de prevalência em populações humanas e animais em comunidades urbanas periféricas, vilas de pescadores e comunidades rurais e indígenas, onde se torna um importante problema de saúde pública.


Sintomas

O bicho de pé pode causar prurido (coceira), dor, inflamação e até infecções secundárias. Os animais podem ser contaminados em zonas rurais e ribeirinhas, seja vivendo no local ou estando somente a passeio por pouco tempo.


Alguns dos principais sintomas:

  • Dor e desconforto

  • Eritema (vermelhidão)

  • Prurido (coceira) no local


Como é feito o diagnóstico do bicho de pé?

O diagnóstico geralmente é feito através da avaliação clínica e do histórico do paciente, além de uma análise da lesão. O veterinário pode observar a presença de pequenos pontos pretos ou vermelhos na pele do animal, que podem indicar a presença da pulga Tunga penetrans.


Em alguns casos, o profissional pode utilizar uma lupa para examinar a área com auxilio de uma agulha estéril e identificar a presença do bicho de pé.


Tratamento do bicho de pé (tungíase)

O tratamento da tungíase é feito por meio da retirada mecânica do parasita da pele e aplicação de medicamentos antiparasiários, os quais podem ser de uso tópico ou sistêmico a depender de cada caso.

A retirada da pulga, no entanto, deve ser feita utilizando agulhas estéreis e após a devida desinfecção da pele, não sendo recomendada a retirada em casa. Alguns acaricidas como o fluralaner são eficazes no tratamento. No entanto, a dose e frequência deve ser sempre recomendada por um Medico Veterinário.


Prevenção da tungíase: como evitar pegar bicho de pé?

A prevenção é sempre a melhor opção, quando o animal for visitar regiões rurais é muito importante se atentar ao comportamento do seu cachorro, e, ao notar sinais como dores, dificuldade de caminhar, lesõe nas patas ou entre os dedos, procurar um médico veterinário. Algumas orientações importantes:


– evite levar seu cão à locais sabidamente infestados


– após passeios, examine as patinhas do seu animal


– evite que seu animal tenha acesso à solos arenosos e de procedência desconhecida


Curiosidades

Os ovos, larvas e pupas das pulgas podem sobreviver no ambiente por semanas ou até meses.


Perguntas frequentes da internet


O bicho de pé tem cura?

Sim. Essa doença tem cura.


O que é bicho de pé e como pega?

O bicho de pé é o nome popular de uma doença causada pela pulga Tunga penetrans. Essa pulga tem em média 1 milímetro de comprimento e se alimenta do sangue de animais e humano. As pessoas e os animais podem ser contaminados em zonas rurais e ribeirinhas.


O que fazer para tirar bicho de pé?

O processo de retirada do bicho de pé deve ser feito por profissionais de saúde porque requer cuidados de higiene prévia e desinfecção da área.


Onde se pega bicho de pé?

As pessoas e os animais podem ser contaminados em zonas rurais e ribeirinhas que contém a pulga Tunga penetrans.


O que acontece se eu não tirar o bicho de pé?

Se o bicho de pé (tungíase) não é devidamente retirado, podem ocorrer infecções secundárias na pele e complicações a depender da quantidade e localização.


Atenção: As informações fornecidas neste texto são de natureza informativa e não substituem a orientação e o diagnóstico de um médico veterinário qualificado. É fundamental que você consulte um profissional qualificado antes de iniciar qualquer tratamento ou intervenção terapêutica em seu animal de estimação. Priorize o bem-estar do seu animal e agende uma consulta com um médico veterinário qualificado. Ao buscar atendimento profissional, você estará proporcionando ao seu pet os cuidados adequados e garantindo sua saúde e qualidade de vida.


Sobre a autora  

Dra Aline Santana é médica veterinária formada pela Universidade Federal de Viçosa, com residência em clínica médica de pequenos animais pela mesma instituição. Possui mestrado e doutorado em Ciências pelo Departamento de Clínica Médica da FMVZ/USP, com período de intercâmbio realizado no exterior (University of Minnesota, Estados Unidos). Desde 2012, Dra. Aline Santana é sócia da Sociedade Brasileira de Dermatologia Veterinária (SBDV). Durante o período de 2015 a 2021, atuou como diretora de mídias e colaboradora da SBDV.


Referências

Tunga penetrans in a young dog imported to Denmark from Brazil; A case report. Veterinary Dermatology 2009


Clinical and macroscopic morphological features of canine tungiasis. Parasitology Research 2021


Efficacy of oral fluralaner (Bravecto) against Tunga penetrans in dogs: A negative control, randomized field study in an endemic community in Brazil


HEUKELBACH, J. — Tungiasis. Rev. Inst. Med. Trop. São Paulo, 47(6): 307-13, 2005


Pampiglione S et al. 2009. Sand flea (Tunga spp.) infections in humans and domestic animals:stateof the art. Medical and Veterinary entomology, 23: 172- 86.


Clinical and macroscopic morphological features of canine tungiasis

Comments


newsletter-dermatologia.png

Newsletter

Mais recentes

banner-lateral.png

Categorias

bottom of page