top of page
parceiros-dermaconecta.png

Estudo revela que o comprometimento da barreira cutânea favorece o supercrescimento da Malassezia

A Malassezia é considerada um microorganismo comensal da microbiota da pele de cães e gatos, mas seu supercrescimento representa hoje um dos maiores desafios da prática clínica.


Alterações epidérmicas e a relação com a Malassezia

Uma pesquisa recente, publicada na revista Allergy, demonstrou em um modelo experimental com camundongos que as mudanças estruturais e metabólicas na barreira cutânea criam um ambiente favorável para o supercrescimento da levedura Malassezia.


Um dos pontos-chave é que, nessa barreira danificada, foi identificado uma redução nas ceramidas, as quais possuem propriedades antifúngicas.


Apesar de ser um estudo com modelo experimental, há um grande aprendizado aqui…


Barreira cutânea

Mais uma vez entendemos que a barreira cutânea vai muito além daquele conceito antigo de "tijolos e argamassa”. A barreira cutânea contempla uma barreira física, química, microbiológica e imunológica.


Por isso, pensar no microbioma é igualmente importante quanto pensar na hidratação, por exemplo. O fato de termos poucos estudos sobre microbioma na dermatologia veterinária não diminui a importância que ele tem.


Uma microbiota em disbiose rompe com toda a harmonia cutânea, uma vez que os microorganismos comensais da pele estimulam as defesas imunes inatas e adaptativas.


Por isso, ver e tratar a pele de uma maneira “holística” é fundamental…





Referência

Ruchti F, Zwicky P, Becher B, Dubrac S, LeibundGut-Landmann S. Epidermal barrier impairment predisposes for excessive growth of the allergy-associated yeast Malassezia on murine skin. Allergy. 2024 Feb 22. doi: 10.1111/all.16062. Epub ahead of print. PMID: 38385963.


Sobre a autora

Dra Aline Santana é médica veterinária formada pela Universidade Federal de Viçosa, com residência em clínica médica de pequenos animais pela mesma instituição. Possui mestrado e doutorado em Ciências pelo Departamento de Clínica Médica da FMVZ/USP, com período de intercâmbio realizado no exterior (University of Minnesota, Estados Unidos). Desde 2012, Dra. Aline Santana é sócia da Sociedade Brasileira de Dermatologia Veterinária (SBDV). Durante o período de 2015 a 2021, atuou como diretora de mídias e colaboradora da SBDV.


Comments


newsletter-dermatologia.png

Newsletter

Mais recentes

banner-lateral.png

Categorias

bottom of page