top of page
parceiros-dermaconecta.png

O que faz um dermatologista veterinário?

Atualizado: 4 de jan.

O dermatologista veterinário é um médico veterinário especializado no diagnóstico, tratamento e prevenção de doenças de pele e pelos em animais.


Formação e Especialização

Os veterinários especializados em dermatologia veterinaria passam por uma formação extensa após a conclusão da faculdade de medicina veterinária. Eles estudam a fundo as condições de pele específicas de diferentes espécies. A complexidade da pele dos animais é notável, variando entre raças e espécies, e os dermatologistas veterinários são treinados para lidar com essa diversidade.


SBDV - Sociedade Brasileira de Dermatologia Veterinária

O título de especialista em dermatologia veterinária é um reconhecimento concedidopela Sociedade Brasileira de Dermatologia Veterinária (SBDV).


Diagnóstico de Condições Dermatológicas

Assim como em humanos, as condições dermatológicas nos animais podem variar desde alergias e infecções até doenças autoimunes ou alérgicas. O dermatologista veterinário emprega uma variedade de técnicas para diagnosticar essas condições. Isso pode incluir exames de pele, testes alérgicos e biópsias.


Tratamento Especializado

Uma vez diagnosticada a condição, o dermatologista veterinário desenvolve um plano de tratamento personalizado. Isso pode envolver medicações, tratamentos tópicos, mudanças na dieta ou mesmo outras terapias, dependendo da gravidade da condição. Além disso, esses especialistas fornecem orientações aos tutores sobre como cuidar da pele de seus animais.


Dermatologia veterinaria sp

Procura um veterinário especializado em dermatologia na cidade de São Paulo? ODermaConecta tem o prazer de indicar a clínica Dermeforpets. A clínica é especializadaem atendimento Dermatológico de cães e gatos.


Maiores informações: https://www.dermeforpets.com.br


Endereço: Rua Nazaré Paulista, 100 - Vila Madalena - São Paulo - SP


Telefone: (11) 3023-6160


Whastpp: (11) 99820-1784


Quais são as doenças de pele de cães e gatos? Confira agora as principais!


Dermatite atopica canina A dermatite atópica é uma doença de pele crônica e alérgica que ocorre devido à sensibilidade a substâncias presentes no ambiente, como pólen, ácaros e outros alérgenos ambientais. Os cães com dermatite atópica geralmente apresentam prurido (coceira) intenso, vermelhidão e lesões na pele. A atopia é uma das principais doenças de pele em cães.

Otite externa em cães e gatos

Otite externa: A otite externa é uma condição comum que afeta o canal auditivo externo e o pavilhão auricular dos cães. É uma doença inflamatória que pode ocorrer em até 5% a 20% dos cães. Essa condição é frequentemente causada por infecções bacterianas, fúngicas ou parasitárias, além de alergias, corpos estranhos ou até mesmo alterações anatômicas.

Dermatite Alérgica à Picada de Pulgas

Dermatite Alérgica à Picada de Pulga (DAPP): A DAPP (Dermatite Alérgica à Picada de Pulgas) é uma reação alérgica que ocorre devido às picadas de pulgas em cães e gatos. Os animais alérgicos a pulgas podem apresentar sintomas como prurido (coceira) intenso, eritem (vermelhidão na pele), lesões e alopecia (perda de pelos). Surpreendentemente, uma única picada de pulga pode desencadear uma reação alérgica. Essa alergia é muito comum em regiões de clima quente, principalmente durante os meses de verão e outono, quando a atividade das pulgas é mais intensa. A saliva da pulga contém substâncias potencialmente alergênicas, que são injetadas na pele durante a picada. Isso desencadeia uma dermatite pápulo-pruriginosa disseminada, principalmente na região lombosacra. Piodermite: A piodermite é a dermatopatia bacteriana mais comum em cães e geralmente surge como uma complicação de doenças subjacentes, tais como alergias (alergia alimentar, dermatite atópica, alergia a picadas de pulgas), doenças endócrinas (hipotiroidismo, hiperadrenocorticismo), doenças parasitárias (sarna sarcóptica, sarna demodécica), entre outras. Essa condição ocorre quando bactérias, principalmente do gênero Staphylococcus, se aproveitam de alterações na pele, como danos à barreira cutânea ou desequilíbrio do microbioma, e causam infecções. A presença dessas doenças de base torna a pele mais suscetível às infecções bacterianas. Sarna (escabiose): A escabiose canina, também conhecida como sarna sarcóptica, é uma doença de pele altamente contagiosa causada pelo ácaro Sarcoptes scabiei. Essa condição afeta cães de todas as idades e raças, e é transmitida através do contato direto com animais infectados. Os principais sintomas da escabiose canina incluem prurido (coceira) intenso, vermelhidão, inflamação, perda de pelos e formação de crostas na pele. O prurido é geralmente mais intensa nas áreas afetadas, como orelhas, cotovelos e abdômen. Com o tempo, as lesões podem se multiplicar pelo corpo do cão quando o mesmo não é tratado. A escabiose canina pode levar a complicações graves, como infecções secundárias da pele devido ao ato de coçar e arranhar, resultando em lesões e crostas. Além disso, a coceira intensa e persistente pode levar o cão a a ter dificuldade para dormir e se alimentar adequadamente. Sarna negra (demodiciose): A sarna negra, também conhecida como demodicose, é uma doença de pele causada pelo ácaro Demodex spp. Esse ácaro é naturalmente encontrado na pele de cães, mas pode se multiplicar excessivamente principalmente quando o sistema imunológico do animal está comprometido. A demodicose pode ser classificada em dois tipos: localizada e generalizada. Na forma localizada, pequenas áreas da pele são acometidas, geralmente ao redor da face e das patas. Os sintomas incluem perda de pelos, vermelhidão, prurido leve e descamação. Geralmente, a demodicose localizada afeta filhotes e cães jovens. Sarna otodécica: A sarna otodécica é uma doença de pele comum em gatos, causada pelo ácaro Otodectes cynotis. Esses ácaros são parasitas que se alojam no canal auditivo dos felinos, alimentando-se de detritos e células da pele. A infestação por ácaros resulta em uma condição conhecida como sarna otodécica. Os sintomas da sarna otodécica em gatos incluem coceira intensa nas orelhas, sacudidas frequentes da cabeça, irritação, inflamação, acúmulo de cerúmen escuro e crostas no canal auditivo. Os gatos afetados podem arranhar ou esfregar as orelhas em objetos para aliviar a coceira, o que pode levar a feridas e infecções secundárias. Fungos (criptococose): A criptococose é uma doença fúngica de distribuição mundial que acomete humanos e animais e é considerada a micose sistêmica mais comum em gatos. A infecção é causada pelo complexo de espécies Cryptococcus neoformans - Cryptococcus gattii que compreende vários tipos moleculares. O reservatório ambiental de C. neoformans é comumente associado à excreção de aves, enquanto os isolados ambientais de C. gattii são associados à madeira em extinção e eucaliptos. Fungos (dermatofitose): A dermatofitose, também conhecida como "micose" ou "tinha", é uma infecção fúngica que afeta a pele, pelos e, às vezes, as unhas de cães e gatos. É uma doença contagiosa que pode ser transmitida entre animais e humanos, sendo causada por diferentes tipos de fungos dermatófitos, sendo os mais comuns o Microsporum canis, o Microsporum gypseum e o Trichophyton mentagrophytes. Fungos (esporotricose): A esporotricose é uma doença causada pelo fungo Sporothrixspp, que pode acometer os gatos, cães e, ocasionalmente, ser transmitida aos seres humanos. Essa infecção fúngica é mais comum em regiões com clima quente e úmido, e pode ser adquirida através do contato com o solo, plantas, espinhos ou outros animais infectados. Os sintomas da esporotricose em gatos variam de acordo com a forma da doença. A forma cutânea é a mais comum e apresenta lesões na pele, geralmente começando como pequenos nódulos que se desenvolvem em úlceras ou lesões que não cicatrizam. Essas lesões podem se espalhar pelo corpo do gato, principalmente nas áreas mais próximas das patas e cabeça. Além disso, os gatos infectados podem apresentar perda de pelos ao redor das lesões, inchaço, dor, coceira e dificuldade em se alimentar. Tungíase (bicho de pé): Tungíase, também conhecida como bicho de pé, é uma infecção cutânea causada pelo Tunga penetrans, uma pequena pulgas. Essa condição é comum em regiões tropicais e subtropicais, especialmente em áreas rurais e regiões arenosas.

Comments


newsletter-dermatologia.png

Newsletter

Mais recentes

banner-lateral.png

Categorias

bottom of page